Notícias

Quais os tipos de amigdalites? Quais os seus sintomas?

Assim como todas as outras inflamações, as amigdalites podem ser classificadas em dois tipos principais: agudas ou crônicas. Esta classificação não diz respeito a gravidade do processo mas apenas à velocidade de instalação. Amigdalite aguda é aquela que se instala rapidamente e amigdalite crônica se instala de forma lenta e insidiosa.
A amigdalite aguda é mais comum que a crônica. É aquela em que a pessoa subitamente desenvolve dor de garganta com ou sem outros sintomas associados. Pode ser de origem viral ou bacteriana. É importantíssimo diferenciarmos as virais das bacterianas pois as virais são mais frequentes e o uso do antibiótico em um processo viral não é recomendável. O antibiótico tem efeito somente nas inflamações bacterianas. Quanto mais usarmos antibióticos para tratar processos virais, mais as bactérias se tornam resistentes, e menos benefício teremos quando realmente precisarmos dos antibióticos. As amigdalites virais normalmente ocorrem com vários outros sintomas além da dor de garganta. Pode haver tosse, rouquidão, diarréia, congestão nasal, secreção nasal e ocular (conjuntivite), febre e mal estar geral. É comum a pessoa com amigdalite viral referir que já estava “gripada” alguns dias antes de iniciar a dor de garganta. Existe um tipo de infecção viral que acomete as amígdalas além de outras regiões do corpo que se chama mononucleose infecciosa. O quadro clínico é um pouco diferente das outras amigdalites virais. A duração dos sintomas é mais longa, pode haver alteração da função e aumento do tamanho do fígado e do baço e há aumento dos gânglios do corpo principalmente da região do pescoço. As amigdalites bacterianas variam de uma dor de garganta e mal estar moderado (quase a metade dos casos) a dor de garganta intensa, dificuldade para engolir e para falar e febre alta (acima de 38.5 graus). Não é comum a tosse, a secreção nasal e/ou a congestão nasal nas amigdalites bacterianas. Em crianças pode haver náuseas, vômitos, dor de cabeça, dor de barriga, cólicas abdominais e desidratação.