Notícias

Quais são os fatores de risco para perda auditiva no recém nascido?

Familiar com surdez permanente com início na infância. 
Consanguinidade (pais com parentesco como, por exemplo, primos). 
UTI por mais de cinco dias, ou até menos que 5 dias porém sendo submetido a procedimentos complexos e exposto a medicamentos que possam agredir a orelha interna.
Baixo peso ao nascer (< 1500 gramas). Icterícia grave (amarelão).  
Infecções congênitas ou logo após o nascimento como toxoplasmose, rubéola, citomegalovírus, herpes, sífilis, HIV, sarampo, varicela e meningite.
Anomalias do crânio e da face envolvendo a orelha.
Síndromes genéticas associadas a deficiência auditiva.   
Traumatismo craniano. Quimioterapia.