Você está usando um browser desatualizado.

Quarentena. Crianças em casa. Aumento da prevalência de corpos estranhos em nariz, boca e ouvido.

É notório o aumento da prevalência de crianças com corpo estranho em nariz, boca ouvidos e até estômago e pulmão durante a quarentena. Precisamos focar na prevenção do problema.

Vocês sabem quais os objetos mais perigosos?

Pois dependem do tamanho e do formato do objeto.
Dentre os alimentos se destacam a pipoca, feijão, nozes, castanhas, amendoim, milho, salsichas, tomate cereja, uva, ossos e fragmentos de ossos.

Os brinquedos mais envolvidos são as peças pequenas além de bolinhas, moedas, baterias (muito perigosas porque corroem o organismo), tampas de caneta, pinos, clipes de papel, parafusos, pregos, miçangas, brincos e tarrachinhas.

E como fazemos para prevenir?

Não deixar os objetos ao alcance da criança principalmente se ela for menor de cinco anos ou se tiver algum problema de desenvolvimento. Além disso ensinar a comer sentada mastigando bem e engolindo calmamente. Não oferecer alimento se estiver correndo e agitada. Cortar bem as uvas e os tomates cereja, por exemplo. Sempre cortar as pontas das salsichas do cachorro quente. Evitar pipoca, castanhas, nozes, amendoim e outros alimentos semelhantes abaixo de cinco anos de idade. Os brinquedos devem ser maiores de 3 cm de diametro e 6 cm de comprimento nesta faixa etária. Seguir as orientaçōes do INMETRO e adequar o brinquedo a idade da criança.